Quer saber como abrir uma clínica médica? Confira 5 pontos essenciais

4 minutos para ler

Com a crise econômica e as mudanças no cenário da saúde suplementar, a concorrência no mercado do atendimento médico é cada dia mais acirrada. Empreender é o caminho escolhido por muitos médicos, porém, é importante entender como abrir uma clínica. 

Assim como a abertura de qualquer outra empresa, esse passo exige um bom planejamento apoiado em um plano de negócio bem estruturado. Caso contrário, você corre o risco de ser apenas mais um, sem conseguir se destacar no mercado e garantir a sustentabilidade da sua clínica. 

Além disso, naturalmente as instituições de saúde envolvem algumas peculiaridades que visam garantir a segurança dos pacientes. Por isso, preparamos este post com os pontos essenciais para a abertura de uma clínica médica.

Confira!

1.  Escolha a localização

O endereço da clínica não é uma escolha simples. É preciso fazer uma pesquisa de mercado e avaliar a presença da concorrência na região. Outas características importantes são a renda per capita, o perfil clínico do público; a acessibilidade (estacionamento, meios de transporte) etc.

O local também precisa estar dentro das especificações legais exigidas. 

2.  Defina a categoria de atendimento

De acordo com a Anvisa, existem 54 categorias para consultórios, sendo as mais comuns: consultório médico, aquele onde se atendem até duas especialidades; consultório geral, para mais de duas especialidades e clínica geral, onde se efetuam pequenos procedimentos. 

Além da categoria de atendimento, outras decisões burocráticas envolvem a definição do enquadramento jurídico (sociedade limitada, EIRELI, sociedade anônima, entre outras) e a escolha do regime tributário (Lucro Presumido, Lucro Real ou Simples Nacional).

3.  Determine os custos e investimentos

Outro ponto importantíssimo para a abertura de qualquer negócio, incluindo clínicas, é o planejamento financeiro.

É essencial considerar os custos e despesas básicas entre os quais: aluguel; montagem da infraestrutura (móveis e equipamentos); contratação da equipe; compra de insumos, impostos e serviços (luz, telefone, água e internet, por exemplo).

As verbas para marketing e divulgação, bem como o capital de giro, também devem constar no planejamento.

4.  Atente-se às exigências legais e formalização

Regularizar a clínica médica exige uma série de documentos, bem como oseguimento das normas exigidas pela Anvisa e outros órgãos que regulamentam o setor. A resolução 50, por exemplo, define parâmetros de planejamento, elaboração e programação dos projetos físicos. 

Além disso, é preciso retirar a licença para funcionamento, fazendo o cadastro estadual de vigilância sanitária na prefeitura; o cadastro no CNES; obter a aprovação do Corpo de Bombeiros; e seguir as exigências do CFM (Conselho Federal de Medicina).

5.  Invista nos equipamentos médicos certos 

Além dos aparelhos habituais, como ar-condicionado e computadores, os equipamentos médicos merecem atenção. Quando se trata de saúde, a qualidade e tecnologia são fundamentais. 

Assim, faça o mapeamento dos equipamentos necessários, de acordo com as especialidades atendidas e tenha atenção aos seguintes pontos:

  •  observe a relação custo-benefício;
  • considere o tipo de tecnologia empregada, sistema operacional etc;
  •  verifique como são realizados o suporte e a manutenção;
  •  avalie a autoridade e reputação do fabricante, bem como a qualidade do atendimento pós-venda;
  • cheque a durabilidade dos aparelhos;
  •  considere as condições de pagamento e adeque as escolhas à realidade da clínica. 

Dependendo do ponto de vista, a resposta para a pergunta “como abrir uma clínica” pode ser muito ampla, afinal são muitos pontos a se considerar.

Abordamos neste texto os principais, para evitar que você cometa os erros mais comuns nesse processo, como ignorar o seu público-alvo, escolher o ponto errado ou esquecer alguma documentação importante. 

Agora que você já conhece os primeiros passos para abrir a sua clínica, que tal ler um pouco mais sobre por que investir em alta tecnologia quando se trata de equipamentos médicos? Boa leitura!

Posts relacionados

Deixe um comentário